Translate

quarta-feira, 15 de maio de 2013

FERNANDA COLAGROSSI, CHANEL E SEUS BIOMBOS...








Em fins do ano passado comecei a criar essa postagem,
pretendia lançá-la de imediato, porém não o fiz, pois
achava que ela ainda não estava bem desenvolvida, 
completa na sua proposta. E pela sua complexidade,
o tempo se fez necessário. E com o passar do tempo,
novos elementos foram surgindo e assim, acrescentando
ilustrações necessárias para um melhor entendimento,
enriquecendo, também, essa postagem. Na sua idealização
foram utilizado elementos de variadas fontes, direta ou
indiretamente ligadas ao objetivo dessa postagem.
Uma ideia se liga a uma outra, um fato se liga a um
outro, uma foto ilustra uma ideia, uma outra, um fato,
formando assim um todo desejado. Colhi alguns 
comentários e conversas no Facebook, para com
eles questionar um dos aspectos da moda nacional,
que Clodovil conhecia muito bem. Nessa postagem
há comentários de algumas pessoas, umas diretamente
relacionadas a ele, outras não. E com eles ajudaram-me,
sem saber, a elaborar esse texto para mais uma
postagem. Comecemos com o comentário de:

FERNANDA COLAGROSSI,testemunha de seu tempo 
e de sua história, assim, também, testemunha da
história da moda e de sua relevância. Moda, essa, que 
ela usou e prestigiou. Adepta ao Facebook,
sempre em busca da informação para o mundo e a 
humanidade melhor compreender. Usa dessa rede
social para se interagir com as pessoas e se 
atualizar. Atualizando, também, as pessoas ao
repassar e discutir as notícias, além de compartilhar
belas imagens para embelezar a vida, muitas vezes
não tão bela. Numa quarta-feira às 10:16, ela 
compartilhou e comentou uma foto que sem
a sua intenção e conhecimento acabou por 
colaborar com essa postagem. Na foto acima, 
Fernanda Colagrossi se encontra em seu
apartamento em Ipanema nos anos 70, veste
Guilherme Guimarães, rival de Clodovil e o 
 seu biombo japonês.
"Tenho um biombo Coromandel, como o da foto.
Só que mais bonito...rs"
Fernanda Colagrossi
Tenho um biombo Coromandel como o da foto. So que mais bonito... rs
Curtir ·  · Quarta às 10:16 · 

Porém, enquanto isso, sob os céus de Paris....
HELÔ MACHADOJornalista da Folha de São Paulo 
por décadas, conheceu Clodovil em fins dos anos de 
1960. Foi sua amiga e cobriu vários eventos de sua 
carreira. Vemo-la em Paris à frente do Arco do
 Triunfo, cidade que tanto admira e cultua. Cidade 
de seus sonhos, onde chegou a sonhar com Clodovil.

Hêlo Machado fora uma noiva de Clodovil,
casou-se com uma singela e bela criação
do costureiro amigo. Vestido que conserva
guardado em celofane azul, conforme orientação
do Clodovil. Helô guarda, também, um casaco
de renda de sua mãe, guardando, assim, a
sua história e de sua família. Essa sua atitute
em conservar o seu passado nos mostra a 
importância de museus para conserva
a nossa memória. Helô Machado, também
é usuária do Facebook 

Enquanto isso, sob os céus de São Paulo...
ROSE BENEDETTIFoi amiga e conviveu mais 
com Clodovil no período do Clodovil estilista. 
Clodovil foi também o autor de seu vestido de 
casamento.

O vestido trouxe-lhe sorte, pois o seu casamento 
perdura até hoje,  assim como o vestido dessa 
ocasião. Será que a duração de seu casamento 
se deve à conservação de seu vestido??? Creio 
que não, porém quem conserva um vestido
tão significativo em a sua vida, conserva
também valores e princípios importantes.


E NO FACEBOOK, HELÔ PUBLICOU E COMETOU 
ESSA FOTO:

Helô Machado


25 de novembro 
Sinceramente?
Tirando a família, os amigos,
comes e bebes preferidos,
pessoas que eu admiro,
tudo o que eu adoro está aqui!


E deu-se início a um dialogo entre mim e a Helô;
 onde , logo depois, Rose Benedetti veio a comentar.
Por comparações feitas por mim entre Chanel
e Clodovil, fui acusado de endeusar Clodovil,
 a qual rebati e mostrei as minhas razões. E
a conversa deu-se assim:
Danian Dare Pobre do Clodovil ser trocado por Chanel. Ah ele não vai te perdoar!
 Machado Danian Dare, o Clô sabe muito bem o lugar privilegiado que ocupa no meu coração, apesar das 36 brigas que tivemos... Querido Clodovil... sonhei com ele quando estava em Paris, imagine... Ele me convidava para fazer um programa de TV com ele e eu dizia, que não podia porque iria passar mais uns dias em Paris... Ele estava tão vivo... Impressionante! Sonhar é muito bom!

 Dare Querida Helô Machado, acho que o Clodovil não se importaria de ser trocado por Chanel, pelo menos o trocou por alguém a sua altura. E sendo Chanel, igualmente ou até mais difícil que Clodovil, já demonstra uma certa igualdade...Quanto a sonhar com Clodovil em Paris...Qual é o melhor lugar para se sonhar com ele senão Paris? Que tenha outros bons sonhos com ele, contando que ele, num deles, não resolva brigar mais uma vez com você. Aí não dá.

Rose Benedetti Queridissima ,uma marca como- Chanel,ser idolotrada,cultuada,endeusada Pelas mulheres já sabemos que existem ,não só pela Chanel mas por Guccis ,Prads

Rose Benedetti Pradas e outras mil !!! Mas comparar com o Clodovil acho um pouco demais apesar de ter sido muito seu 
Amigo !!!depois esclareço melhor minha opinião!! Bjs

 Machado Rose Benedetti, também achei um exagero dele. Mas, sabe como é... ele quis endeusar o nosso Clô!!!

 Dare Como assim, minha cara Helô Machado, não é questão minha querer endeusar o Clodovil, somente dar-lhe o devido valor. Em questão de talento Clodovil não fica a dever nada à mademoiselle Chanel. A griffe Chanel é forte e de um país que reconhece e valoriza a moda. Porém cabe, aqui, lembrar que se atualmente a griffe Chanel é o que é agora, isto é graças ao kaiser Karl Lagerfeld, que rejuvenesceu a marca. Até o início dos anos 80, Chanel era uma griffe para senhoras apenas, tinha como cliente a saudosa Lili Marinho. E lembro-me de críticas que o Hubert de Givenchy proferiu sobre mademoiselle dizendo que ela não fez muita coisa na moda. Portanto no quesito talento Clodovil tinha talvez até mais.

 Machado Querido Danian Dare, nós amamos o Clô. Mas são histórias diferentes! Não vai dar para comparar nem na Eternidade!!! Beijos.

Não creio que eu tenha sido excessivo comparando Clodovil
à Coco Chanel. E ao compará-los, o fiz em relação ao
talento para a moda e ao temperamento de ambos.
 Não me referi á projeção do nome e nem da marca,
 sei que nesses quesitos não há como compará-los.
Porém em questão de talento e bom gosto, não penso
que Clodovil fique atrás. Essa conversa reflete um
comportamento tupiniquim de valorizar o que vem
de fora e desprestigiar o que somos e temos.
E veja que se trata de duas pessoas que tiveram a sua
importância na vida do Clodovil. E mesmo com a
 minha argumentação, elas  mantiveram a
mesma opinião. E segundo a Helò Machado, Clodovil
 está a uma eternidade atrás de Coco Chanel. E
lembrando que Coco Chanel teve vários amantes
que a ajudaram durante a vida, Clodovil mal
podia contar com as amigas.

Curiosamente, dias após a postagem da foto de Chanel
e seu biombo ao fundo, Fernanda Colagrossi postou
essa foto onde as aeromoças usam a moda das
"Hot Pants", novamente, sem saber, ela indicava
para mim uma linha a seguir.


Toda essa conversa fez-me regressar no passado da 
moda e lembrar das HOT PANTS, cujo lançador
dessa moda no Brasil no início dos anos 70 fora
Clodovil e pelo qual não recebeu crédito algum.

Mas, como eu preferia usar essa imagem da Florinda
 Bolkan, pela brasileiridade da Florinda, beleza e 
sofisticação, para ilustrar o tema "Hot Pants". Não via 
a outra razão que surgiria futuramente para a 
sua utilização, a qual concluiria e fecharia essa 
postagem dando uma noção exata de como agem 
os consumidores brasileiros.
CLODOVIL FALA SOBRE AS "HOT PANTS"
Antes do short tornar-se moda mundial você o lançou no
 Brasil. Entretanto, só depois dos ingleses de tê-lo lançado,
 é que o sucesso e a moda do short aconteceram. Porque 
você não teve exito quando lançou  o short no Brasil?
_Realmente, eu fiz o short o ano passado, não tive 
divulgação nenhuma e tudo ficou por isso mesmo. 
Não tive esse sucesso por falta de confiança da 
mulher brasileira na moda do seu país. A mulher
 brasileira ainda acredita na moda importada, sem
 sombra de dúvidas. Se uma roupa minha custasse 
e uma de Dior o mesmo preço, ela preferiria 
compra a roupa de Dior, mesmo que a minha
 fosse melhor, acredito.Não vamos ser pretensiosos
 demais, porém, a minha pode ser melhor. Quer 
dizer, estaríamos no mesmo nível, entretanto 
ela escolheria a etiqueta Dior.
 Poucos anos depois, Clodovil retornaria a 
esse mesmo ponto de vista em um encontro:
_Clodovil fez uma longa explanação sobre a educação 
e a cultura da  mulher brasileira e a maneira como
 ela consome a etiqueta estrangeira. Então cita um 
exemplo clássico da desvantagem que sofre o 
costureiro nacional frente à etiqueta francesa:" Se 
uma mulher brasileira tiver diante de si dois vestidos, 
por exemplo, um meu e um da Dior, ambos 
maravilhosos. Ela vai escolher o da Dior. 
A brasileira ainda não compra a qualidade
e a elegância, mas sim o nome que acompanha
 o modelo".
    

Rose Benedetti contou com o apoio de Clodovil
ao começar em um ramo pouco explorado na
 moda brasileira, a bijouteria. Nos anos de 1970 à 80,
 as sua criações estavam presentes em todas as
revistas de moda nacionais. Fez muita coisas para
o Clodovil, para os seus desfiles. Porém o tempo
passou para ambos e as coisas já não eram como
antes. Em seu mural encontram-se fotos da famíla,
até do Pelé, haverá alguma foto do Clodovil ????



Pelos seus trabalhos, Clodovil tinha razão em
acreditar e incentivar a amiga. As belas peças
abaixo no mostra uma qualidade estética
comparável à Chanel, Prada, Gucci e outras
marcas igualmente importantes. Porém uma
peça Rose Benedetti torna-se mais original
por não estar espalhada em lojas pelo mundo.



O ouro está em alta!!!

Pérolas e mais pérolas!!!!
Lembram Chanel.
Escravas arrojadas!!! 

Franjas metalizadas.

Brincos absolutos!!!


Penso que as iniciais RB douradas
ficariam muito bem nessa carteira
metalizada e na carteria e escrava piton.










Voltamos, então, ao biombo da Fernanda Colagrossi,
 muitos, certamente, considerarão igualmente excessivo 
e pretencioso o seu comentário em considerar o seu
biombo mais bonito que o de Coco Chanel. "É ousadia  
demais ela se por acima de mademoiselle no quesito
biombo", pensaram eles. O fato de um biombo pertencer
a Chanel e se encontar na rue Cambon 31, torna-o muito
mais elevado em todos os sentidos do que um que se
 encontra abaixo da linha do Equador, em terras tupiniquins.

E essa foi a razão da Florinda Bolkan,
ilustrando as "Hot Pants", Marina Cicogna
fazendo uma obsrvação bem interessante
sobre a importância que damos ao que
vem do estrangeiro.




CLO OROZCO: dedico essa postagem à memória dessa
 mulher, que optou pela morte a ver tudo que construira
 em anos de trabalho ruir pela difícil situação que se
encontram muitos que trabalham pela moda nacional.
Como Clo, também, Clô, de Clodovil, desistiu dela
 Logo abaixo o desabafo de Eugênia Fleury revelando
essa difícil realidade.


Eugenia Fleury Hello, realmente e uma noticia muito triste, mas a realidade e que a moda brasileira esta com muitos problemas, juros altissimos e a invasao de tantas etiquetas internacionais estao acabando com nos que lutamos para sobreviver...muitas lojas ja estao fechando...Acorda Brasil...
Eugenia Fleury E eu estou no shopping Igutemi a 43 anos, so por Deus, minhas clientes que passao de mae para fiha e que sao fieis ao meu trabalho...

E para encerrar essa longa e difícil postagem,
encerro com o protesto de Xênia Biar, que se
faz bem presente nos dias de hoje:



DANIAN

Nenhum comentário: