Translate

quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Marlene, uma das maiores cantoras do 
Brasil, cantou por décadas para milhões
de brasileiros. Pertenceu a era do rádio,
da qual foi rainha por várias vezes, dis-
putando soberano título com a saudosa
Emilinha Borba. Surgindo assim uma ri-
validade que futuramente se repetiria na
moda através de dois jovens pela dispu-
ta do título de maior costureiro do Brasil.
 O rádio era o principal meio de comu-
nicação em massa da época, a televi-
são demoraria a estar presente em to-
dos os lares, desde que aqui chegou
nos primórdios dos anos 50. Cabia ao
rádio a função de integração social e 
cultural no Brasil, difundindo a boa 
sica daquela época. E é claro que
um jovem rapaz do interior paulista
ouvia o rádio e acompanhava o seus
programas. Este rapaz elegia a Mar-
lene como sua rainha, pois esta ele a
considerava mais chic que a Emilinha,
pois estivera em Paris a convite de
Edith Piaf para cantar no Olympia.
Nesse universo relativo ao mundo
dos rádios, surgiram publicações re-
lativas a ele. Assim surgiu a revista
Radiolândia, que teve a cantora Mar-
lene como sua colunista, numa colu-
na chamada "Recado de Marlene".
No ano de 1954, Marlene, através de
sua coluna, resolveu criar um concur-
so para eleger aquele que melhor cria-
ría um traje para ela. Entre os partici-
pantes do concurso estava o jovem 
do interior paulista, que teve o seu
modelo publicado, pela primeira vez,
numa revista de grande circulação
nacional. 



E naquela revista Radiolândia do
dia 2 de outubro de 1954, cuja a
capa trazia a famosa vedete
Virgínia Lane, era publicada o 
primeiro desenho de moda do
jovem rapaz. Assim como a 
descrição do modelo pelo pró-
prio rapaz num bom português.
A sua assinatura:
"CLODOVIL HERNANDES"..


EIS, AQUI, ENTÃO, O PRIMEIRO MODELO
PUBLICADO DE CLODOVIL HERNANDES...

.
...E A SUA DESCRIÇÃO:



Através desse croqui nota-se a
evolução de Clodovil no dese-
nho de moda e na elaboração
do modelo, conseguido através
dos anos posteriores. Talvez
ele não usaria o tafetá na con-
fecção do vestido, pois lembro-
me dele comentar que o tal
tecido repuxa em saia justa.


                                                
Clodovil relatou tal fato algumas ve-
zes em revista, livro e programas
de televisão. Ele mencionou o fato, 
também para a jornalista Liba Fry-
dman em uma entrevista no ano
de 1977, disse então: " Meu pri-
meiro  desenho de moda foi pu-
blicado na revista Radiolância, que
já não existe mais. Marlene, a can-
tora, tinha uma coluna lá e fez o 
concurso. Era por volta de 54 ou
55, eu tinha dezesseis anos, mora-
va em São José do Rio Preto, 
onde também estudava, e man-
dei os desenhos sem esperar
nada. Quando eu me vi publi-
cado, vi que ganhei, a emoção
foi muito forte, senti que tinha
encontrado a minha profissão,
meu futuro".
Clodovil recriou esse vestido, 
para apresentá-lo no segun-
do aniversário do programa 
TV Mulher realizado no Teatro
 Municipal de São Paulo no
 ano de 1982.




Faço eu o recado de Marlene, pa-
ra aquele que ajuda muito a restau-
rar o passado da cultura e história
do Brasil. Resgatando memórias 
esquecidas no tempo e recontando-
-as novamente para a sua existên-
cia no futuro. Assim fazendo-as
eternas. Dou graças e louvor à
DIMAS OLIVEIRA JUNIOR por
 preservar e nos fazer conhecer a 
nossa própria história. O meu obri-
gado por colaborar tão atencio-
samente nessa postagem, ceden-
do de seus arquivos esse come-
ço de uma história que é parte
da história da moda nacional.
Certamente o próprio Clodovil
sentiría-se grato assim como 
aqueles que leram essas min-
has palavras.
DANIAN DARE







MARLENE, também nos dá o
recado de sua trajetória de vida.
Vida que construiu através do
tempo neste cenário cultural
chamado BRASIL.



5 comentários:

Carla disse...

Linda e muito interessante esta matéria, Danian. Obrigada por repartir com os leitores!

Carla Wiese

Claudia disse...

Querido Danian: Mais uma vez você nos traz conhecimento da história da moda brasileira.
Parabéns por suas pesquisas, dedicação e interesse em divulgar a vida artística de Clodovil, um estilista brasileiro de renome internacional!
Grande abraço,
Claudia

Danian Dare disse...

Obrigado, queridas!!!
carla, aí daquele que não compartilha, pois não sabe o prazer de doar. Cláudia, de histórias e feito a vida, sem elas não há o que contar. Assim conto o que contaram e assim sempre se terá o que contar...

Daniele Rodrigues de Moura disse...

Nossa, que trabalho de pesquisa maravilhoso! Uma super curiosidade sobre a carreira de Clodovil.


Participe da enquete-post que fiz no blog!

www.telaprateada.blogspot.com

Um abraço
Dani

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.